Galinhas Caipiras – Cuide da Água e evite doenças no Seu Aviário

galinhas caipiras post1Como já é do conhecimento de muitos avicultores, para conseguir o sucesso em um projeto de criação de galinhas caipiras é extremamente necessário adquirir aves com boa genética, cuidar das instalações, manter um programa de vacinação adequado e fornecer às aves uma alimentação que atenda suas necessidades fisiológicas.

Até aí, tudo certo… agora, o que poucos avicultores sabem, principalmente os pequenos, é que de nada adianta manter os cuidados citados acima se não houver uma atenção muito especial com o fornecimento de água para suas galinhas caipiras em sua propriedade.

Hoje, nós vamos falar um pouquinho de como a água está diretamente ligada ao sucesso em seu projeto de criação de galinhas caipiras.

E de como garantir uma água de boa qualidade para nossas aves e, com isso, conseguir o rendimento máximo de nossas galinhas e evitar uma série de doenças que podem ser transmitidas através da água de bebida das aves.

Saiba Mais Sobre as Galinhas Caipiras…

galinhas caipiras lendoBem, as galinhas não possuem em seu corpo as glândulas sudoríparas e em função disso as aves não conseguem transpirar. Para que haja uma redução do calor no corpo da ave, provocado pelas reações metabólicas e condições climáticas, elas necessitam de uma grande quantidade de água em seu organismo para que consigam perder parte desse calor através do processo de respiração.

Para ter uma ideia da importância da água na criação de galinhas caipiras, devemos lembrar que cerca de 85% do peso de um pintinho e em média 70% do peso corporal de uma ave adulta é formado pela água. E mais, uma galinha pode ficar durante muitos dias sem se alimentar, nesse período, ela pode perder mais de 90% da gordura corporal e até 50% das proteínas, porém podem morrer se perderem 20% da água do seu corpo.

O consumo da água pelas galinhas caipiras está ligado diretamente com o sexo da ave, linhagem, peso, tipo de alimento consumido, condição climática do ambiente, regulagem dos bebedouros, programas de iluminação e densidade populacional. Sabemos que os machos consomem mais água do que as fêmeas e que o consumo aumenta em conseqüência da idade das aves.

Para que as aves possam ingerir a quantidade ideal para um bom desenvolvimento, algumas procedimentos devem ser tomados em nossa propriedade. Tais como, a água não pode ter cheiro, deve ser cristalina, deve estar devidamente tratada e abaixo da temperatura do ambiente.

Você sabia que as galinhas podem perceber a diferença de temperatura na água de bebida?

Pois é… isso está devidamente comprovado. E o interessante nisso tudo, é que elas preferem a fonte de água com a menor temperatura. Os pesquisadores que fizeram essa descoberta aconselham que devemos  manter a água nos bebedouros  em uma temperatura variando entre 10°C e 24°C. (Beker & Teeter – 1994)

As galinhas caipiras consomem uma pequena quantidade de água quando vão ao bebedouro, porém as aves repetem está ação com uma freqüência muito grande. Desse modo, uma galinha poedeira em um ambiente com temperatura em torno de 25°C consome em média 200Ml de água por dia, se a temperatura sobe para 32°C o consumo pode dobrar no mesmo período.

A falta de água nas condições ideais de consumo em sua criação de galinhas caipiras pode provocar grandes perdas em sua criação. Isso, em função da ligação direta que ela possui com o consumo de ração, ganho de peso das aves, produção de ovos e surgimento de doenças em seu plantel de frangos caipiras.

No Brasil, a qualidade da água destinada ao uso animal foi regulamentada por uma legislação através de uma resolução do CONAMA N° 357 de 17/03/205. Ela estabelece que a água destinada para esses fins deve ser a de classe 03. Porém, não há um consenso entre os pesquisadores brasileiros que indicam a mesma água destinada ao consumo humano na dessedentação das aves.

Outra questão importante relacionada à qualidade da água se refere à disseminação de doenças na criação de galinhas caipiras. Entre elas: Influenza Aviária, Doença de Newcastle, Bronquite Infecciosa, Pneumovirose Aviária, Síndrome da Cabeça Inchada, Doença Respiratória Crônica – DCR, Cólera Aviária, Calibacilose, Doença de Marek, Pulorose, Encefalomielite Aviária, Tifo Aviário, Histomonose, Coccidiose e Doença de Gumboro.

Leia também: Galinha Caipira – Como Evitar as Doenças Mais Comuns

Uma medida simples para evitar a transmissão de doenças em nossa criação de galinhas é manter os bebedouros sempre limpos, garantir uma fonte de água devidamente tratada com cloro na proporção de 2 a 3ppm e não permitir que pássaros, ratos e os animais domésticos bebam da mesma fonte de água do aviário.

É isso… se você precisa de mais informações sobre criação de galinhas caipiras, sugiro que baixe, agora mesmo, o Guia Completo de Criação de Galinhas. Nele, você vai encontrar uma série de informações que são fundamentais no projeto do seu aviário.

Se esse artigo foi útil para você, peço que compartilhe com seus amigos nas redes sociais. Assim, podemos ajudar nossos colegas avicultores, não é mesmo? E por favor, deixe o seu comentário aqui embaixo, ele é extremamente importante para mim!

Receba AGORA o seu presente!

Valdir Rocha

Nascido em 15 de junho de 1973 na cidade de São Francisco, norte de Minas Gerais, quarto filho de uma família de seis irmãos e todos educados por dois guerreiros...

Website: http://www.criargalinha.com.br/